sábado, 11 de fevereiro de 2012

The Cranberries

Os irmãos Noel e Mike Hogan, guitarrista e baixista, formaram os Cranberry Saw Us no início da década de 90, juntamente com o baterista Fergal Lawler. O lugar de vocalista permanecia em aberto e a banda colocou um anúncio a pedir uma voz feminina, ao qual respondeu Dolores O'Riordan.
A cantora foi sujeita a alguns testes, os quais consistiram na composição de letras para algumas das maquetas já gravadas pela banda, e foi com o tema "Linger" que Dolores convenceu os músicos a cederem-lhe o lugar. Pouco tempo depois, os Cranberry Saw Us gravaram uma maqueta, da qual venderam a totalidade das trezentas cópias editadas em discotecas irlandesas. Foi então que mudaram o nome para Cranberries e arriscaram mandar uma outra maqueta para várias editoras do Reino Unido, na qual estavam incluídos os temas "Dreams" e "Linger".
A gravação chamou a atenção, tanto da imprensa britânica como das editoras e os Cranberries não tardaram em assinar contrato com a Island Records.
Na fase inicial do seu percurso, o grupo de Limerick, na Irlanda, apresentou na sua maioria sonoridades pop muito suaves. Foi precisamente com um deles, "Linger", que os Cranberries deslumbraram a imprensa, criando grandes expectativas no single seguinte da banda, "Uncertain". O resultado não agradou à mesma imprensa que os tinha posto num pedestal pouco tempo antes.
A par da má recepção do single, os conflitos com o produtor Pearse Gilmore eram cada vez mais frequentes, e a banda ponderou seriamente na hipótese de abandonar o projecto. No entanto, ultrapassou os contratempos com a contratação de um novo produtor, Stephen Street, que tinha trabalhado anteriormente com os Smiths, e deu início às gravações do seu álbum de estreia, "Everybody Else is Doing it, So Why Can't We?", que viu a luz do dia em 1993 e do qual foi extraído o single "Dreams".
Apesar de nem o álbum, nem o single terem sido alvo de grande divulgação, os Cranberries começavam já a captar a atenção do público. Tal ficou provado quando o grupo realizou uma digressão pelos Estados Unidos, onde actuou como banda de apoio dos The The e dos Suede, tendo sido recebido mais entusiasticamente do que os próprios cabeças de cartaz.
Seguiu-se o apoio da MTV, que apostou na passagem insistente do teledisco de "Linger", e no final do ano o disco, que passara complemente despercebido aquando da sua edição, tunha já conquistado a dupla-platina.
O segundo álbum da banda de Dolores O'Riordan, "No Need To Argue" foi editado em 1994, e seguiu já um rumo mais próximo do rock, não deixando, no entanto, completamente de lado o forte lado pop da banda. Os singles "Zombie" e "Ode to My Family" conquistaram as tabelas de vendas e o próprio álbum adquiriu o estatuto de tripla-platina um ano depois de ter sido editado.
Entretanto começaram a circular rumores de que Dolores iria abandonar os Cranberries para se dedicar a uma carreira a solo. A banda demonstrou que as suspeitas não tinham qualquer fundamento ao editar o seu terceiro álbum de originais, "To the Faithful Departed" em 1996, um disco definitivamente mais orientado para o universo do rock de guitarras. O álbum ficou muito aquém do sucesso alcançado pelos trabalhos anteriores da banda, e após o cancelamento da digressão australiana e europeia, os boatos acerca da carreira a solo de Dolores voltaram a propagar-se. Mais uma vez mostraram-se infundados, uma vez que em 1999 o álbum "Bury the Hatchet" era editado. Os boatos foram afastados de uma vez por todas em 2001, com o lançamento de "Wake Up & Smell the Coffee", um álbum que mais uma vez teve por mais valia a suavidade característica da voz de Dolores O'Riordan. A revisão de carreira foi feita no mês de Setembro do ano seguinte, com a edição do best of "Stars".

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Recomendamos ...