domingo, 27 de janeiro de 2013

Cantoras dos Anos 80 - Glória Gaynor



É, e será sempre, um símbolo do disco sound. E tudo porque, no meio de uma carreira já grande e cheia de música, há uma que brilha mais que as outras todas: 'I Will Survive'. 

O caminho de Gloria Gaynor começou em New Jersey, onde nasceu, a fazer Coros para o grupo 'The Soul Satisfiers'. Já com alguma experiência, mudou-se para a cidade vizinha, Nova Iorque, onde conseguiu o seu primeiro contrato com a editora Columbia Records, em 1973. Logo neste ano, o primeiro êxito: 'Honey Bee'. Dois anos mais tarde, muda de editora e a versão disco que assina para 'Never Can Say Goodbye' atinge a nona posição no top norte-americano e anuncia, de certa forma, a chegada do disco sound ao panorama musical dos anos 70. 

Até 1979, lança um álbum por ano, e foi no quarto, 'Love Tracks' que se ouviu a primeira vez 'I Will Survive', responsável por um sucesso comercial estrondoso! Foi disco de platina e esteve no 1º lugar da tabela de vendas americana. Redundância obrigatória, 'I Will Survive' sobrevive até hoje como a melhor canção de dança de todos os tempos; foi a primeira e única música até hoje a ganhar o Grammy para Melhor Gravação de Disco Sound e, nos últimos anos, fez parte da banda sonora de mais de dez filmes. Enquanto viveu intensamente o período de sucesso do disco sound, sensivelmente até 1986, Gloria Gaynor continuou a gravar, se bem que longe de chegar aos mesmos resultados. Experimentou o Mundo da Moda e da Televisão e envolveu-se em muitas ações de solidariedade. 

Foi em 1982, que se entregou ao cristianismo e começou a distanciar-se aos poucos do seu passado. Chegou a gravar uma versão da música 'I will survive', onde trocou frases como 'It took all the strength I had not to fall apart' para 'Only the Lord could give me strength not to fall apart'. 'I will survive' foi também o nome escolhido para a sua autobiografia, publicada em 1997, especialmente dedicada às suas convicções religiosas, onde assume as sua conversas com Deus e pede perdão pelos excessos cometidos nos tempos da febre do Disco. 

Vinte anos depois, em 2002, regressou aos discos com o álbum 'I Wish You Love'. Dois anos depois foi homenageada e viu o seu nome entrar no Dance Music Hall of Fame e, em 2006, lança mais um álbum de originais. Ainda assim, ao fim de 30 anos, 'I Will Survive' continua a ser a música que a leva a todos os pontos do Mundo ainda hoje!



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Recomendamos ...