sexta-feira, 1 de abril de 2016

Grupos Musicais dos Anos 80 - Opinião Pública

Os Opinião Pública formaram-se em 1981 como consequência do "boom" do rock português que teve o seu início com o "Chico Fininho" do Rui Veloso. 

Eram oriundos da zona de Lisboa. 

A banda era constituída por Carlos Estreia (voz e guitarra), Pedro Lima (guitarra), Luís Fialho (baixo e teclas) e Carlos Baltazar (bateria). 

Em 1981 concorrem ao Festival Só Rock, realizado na cidade de Coimbra, onde obtêm um dos primeiros lugares. O Festival foi ganho pela banda Alarme da Nazaré comandada por Carlos Cavalheiro. 

Esta boa classificação no Festival Só Rock (onde participaram bandas de quase todo o país) permitiu-lhes um contrato discográfico com a editora Rotação.

Nesse ano é editado o single "Puto da Rua", que contém no lado B o tema "Ela é Tua". 

Após terem sido incluídos na agência de espectáculos GRR (Grupos Rock Reunidos) na qual participavam os UHF, Xutos & Pontapés, NZZN e Iodo, a banda faz alguns espectáculos, nomeadamente efectuando as primeiras partes de vários concertos dos UHF (na época a banda com mais espectáculos em Portugal). 

Desse caminho conjunto entre os UHF e os Opinião Pública surge a ideia de convidar António Manuel Ribeiro para produtor do primeiro álbum da banda. 

Esse disco, intitulado "No Sul da Europa" mostra-nos uma banda com um som muito próximo da "new wave" e com algum potencial para vingar. 

Esse disco contém temas como "Na Terra", "Duplo Controle", Ritmo de Vida", "Walkman", "Cumprindo as Regras", "Subúrbio", "No Sul da Europa" e o tema "Puto da Rua" já anteriormente lançado em single. 

Para além da preocupação com a produção do disco, na sua componente musical, a banda preocupava-se em apresentar umas letras que revelavam uma forte consciência social e crítica a um certo estado de coisas em Portugal. 

O tema "Puto da Rua" conseguiu algum sucesso nas rádios nacionais e os Opinião Pública conseguiram, assim, alguma projecção. 

Tal facto não contribui, contudo, para que a banda tivesse continuidade. No mesmo ano de 1982 dava por terminadas as suas actividades, tal como aconteceria como muitas das bandas que surgiram nesta época. O mercado discográfico e de concertos começou a ressentir-se e a crise não tardaria. Apenas três ou quatro bandas conseguiram sobreviver. 

Hoje os Opinião Pública são quase desconhecidos para a maioria do público português, o que não significa que a sua música não seja procurada por especialistas em "powerpop", uma das diversas correntes musicais pós-punk. A banda é, aliás, considerada uma das grandes pérolas deste tipo de música, sendo inclusive referida em diversos "sites" da Internet, ligados a esta corrente musical. Os seus dois discos, em vinil (já que nunca foram reeditados em CD) são procurados como das grandes raridades musicais do rock português dos anos 80. 

DISCOGRAFIA
Puto da Rua/Ela É Tua (Single, Rotação, 1982)
No Sul da Europa (LP, Rotação, 1982)

COMENTÁRIOS
Os Opinião Pública são a única banda portuguesa a figurar nas compilações "Powerpearls" (com vários volumes editados) onde constam bandas internacionais dentro do espectro punk-powerpop dos anos 70 e 80. Aparecem mais propriamente no "Powerpearls Volume 6", com o já mítico "Puto da Rua" (és o esgoto da cidade, a procura nos rostos, por trás das máscaras). De realçar, que a capa do single "Puto da Rua" é talvez a melhor capa do rock português (também não é difícil eheheh), sempre se pode fazer algo com poucos recursos. http://www.punk-information.com/oo-oz.htm aqui estão os Opinião Pública No site http://punkmodpop.free.fr/ pode-se encontrar informações dos Opinião Pública, GNR e Street Kids.

NO RASTO DE...
Luís Fialho fez parte dos Entre Aspas.

Biografia retirada daqui

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Recomendamos ...