Páginas

sábado, 25 de junho de 2022

George Clooney


É um dos actores mais charmosos da sua geração. Entre os sucessos na televisão e no cinema conseguiu construir uma carreira sólida. Já apostou na realização com frutos e hoje é um dos nomes mais multi-facetados de Hollywood. E faz isso sempre com um sorriso espelhado na cara...

Filho do sul dos EUA, onde fez campanha pelo pai para este ser eleito senador, é um homem do mundo do espectáculo. Cresceu a ver o pai na televisão e foi aí que encontrou a fama, mais propriamente na secção do serviço de urgências. Daí a consolidar a sua carreira no cinema foi um passo, e agora será curioso ver os próximos desenvolvimentos da vida de uma estrela chamada George Clooney.

Nasceu George Timothy Clooney a 6 de Maio de 1961 em Lexington, cidade do estado do Kentucky no sul dos Estados Unidos da América. O pai, Nick Clooney, era um reputado reporter televisivo foi o primeiro a tentar trazer o seu filho para o mundo do espectáculo. Aos cinco anos começou-o a levá-lo para a regie do programa que apresentava e convenceu o filho a procurar uma carreira no jornalismo. No final, temendo uma futura concorrência com o próprio pai, o pequeno George partiu do meio jornalistico para ingressar na vida desportiva onde tentou por várias vezes a sua sorte como profissional de Baseball. Depois de ter sido rejeitado pelos Cincinatti Reds decidiu apostar numa vida ligada à representação. Por essa altura já tinha completado o liceu e tinha sido aceite na Northern Kentucky University, onde não acabou o curso que tinha começado. Estavamos em 1982 e a vida de Clooney a representar tinha começado. Iria honrar o nome do tio, José Ferrer, vencedor de um óscar de melhor actor em 1950, e acompanharia o primo, Miguel Ferrer, numa carreira de sucesso em Hollywood.


Depois de ter-se estreado no cinema num pequeno papel arranjado pelo primo, decidiu partir para Los Angeles onde durante um ano procurou, sem suceso, trabalho como actor. Sem dinheiro, vivia no armário de um amigo. Finalmente conseguiu estrear-se em Hollywood, em 1983, ao lado de Charlie Sheen mas o filme nunca saiu da prateleira para desespero de Clooney. Mas os estudios gostaram do que viram do jovem actor.
O seu primeiro papel de destaque viria curiosamente numa serie televisiva chamada E/R, em que o actor partilhava o elenco com Elliot Gould e Jason Alexander. E só em 1987 é que Clooney daria oficialmente os primeiros passos no cinema. Foi no filme Return to Horror High, horror-movie que antecedeu outros titulos menores como Grizlly2 : The Predator e The Attack of the Roaring Tomatoes e que seriam os únicos filmes que faria em toda a década. Eternamente divido entre a televisão, onde participou em diversas series, e os primeiros e timidos passos no mundo do cinema, George Clooney parecia passar completamente despercebido na Meca de Hollywood.


O inicio dos anos 90 pautou-se com diversas novas series de sucesso como Baby Talk ou Bodies of Evidence e com pequenos papeis no cinema em Unbecoming Age e The Harvest.
O grande "boom" na carreira de Clooney chegaria apenas em 1994 na serie ER - Serviços de Urgência. A serie foi um sucesso imenso e a sua personagem era o principal catalizador de emoções. De repente Clooney passava a ser uma das maiores estrelas do panorama televisivo norte-americano. E não demorou muito até a sua carreira em Hollywood começar a progredir. Primeiro foi no sucesso da critica From Dust Till Dawn, filme de Robert Rodriguez com argumento de Quentin Tarantino, e depois seria a sua passagem pela serie Batman, onde viveria em 1997 o Homem-Morcego, sucedendo a Val Kilmer. Ainda nesse ano foi, ao lado de Nicole Kidman, a estrela de The Peacemaker, outro sucesso junto do público que ajudou a consolidar a sua imagem de actor de sucesso. O ano acabaria em grande com a eleição para Homem mais Sexy do ano.


O ano seguinte começaria a consolidar a imagem do "bom ladrão" que George Clooney iria desenvolver nos anos seguinte. Primeiro ao lado de Jennifer Lopez em Out of Sight e em 1999 no notável sucesso de David O. Russell, The Three Kings. Nesse filmes Clooney chegou mesmo a defrontar-se com Russell a propósito de divergências na forma como Russell o filmava, tendo sido na altura apoiado pelo amigo Mark Whalberg, com quem partilhava o protagonismo do filme. No ano anterior Clooney tinha sido um dos muitos actores no sucesso The Thin Red Line.
A entrada no novo século chegava com o enorme sucesso dos irmãos Coen, O Brother Where Art Thou?, em que Clooney tinha a possibilidade de voltar ao seu estado natal. O filme mostrou um Clooney com um sorriso "pepsodent", imagem de marca do actor para os anos seguintes. Depois de trabalhar com os Coen, chegaria a vez de fazer, lado a lado com o amigo Whablerg, The Perfect Storm, filme de Wolfgan Peterson. O ano corria bem e depois de uma passagem pelo filme Spy Kids, chegava a altura de Clooney se juntar à troupe de Steven Soderbergh.


Em Ocean´s Elevan, George Clooney leva ao extremo a figura do bom ladrão, extremamente "cool". No seu primeiro filme com o seu grupo de amigos, que inclui Brad Pitt, Julia Roberts e o realizador Soderbergh, a sua interpretação foi o ponto alto do remake do maior sucesso do rat-pack de Sinatra, Martin e Sammy Davies Jnr. Papel que repetirá este ano no esperado Ocean´s Twelve.
2002 seria um ano de emoções mistas. A aposta no remake do sucesso de Andrei Tarkovski, Solaris, falhou em toda a linha, mas a sua estreia como realizador conheceu alguns aplausos interessantes. Confessions of a Dangerous Mind anunciava, acima de tudo, um Clooney fresco a dirigir a camara e pronto a ceder o protagonismo a outros actores em prole do resultado final. Para o elenco do filme voltou a juntar o grupo de amigos, dando o destaque a Sam Rockwell que conseguiu dessa forma uma das melhores performances do ano. E se em 2003 Clooney voltou a Spy Kids e ao amigo Rodriguez, também houve a oportunidade de o ver de novo na mão dos Coen no interessantissimo Intolerable Cruelty.


George Clooney é hoje, sem margem para dúvidas, um dos actores mais populares de Hollywood. Apesar da sua carreira não ter sido pontuada por magistrosas interpretações e sucessos retumbantes, o seu caracter e a forma de estar diante da camara granjearam-lhe imensos admiradores por esse mundo fora. Resta saber se será o Clooney cool que iremos ver nos próximos anos, ou o homem sóbrio que mostrou que dirigir é algo que também sabe fazer extremamente bem.

segunda-feira, 20 de junho de 2022

Shirley MacLaine

Ao longo da sua carreira trabalhou com alguns dos maiores realizadores de Hollywood. Foi essencialmente nas mãos de Billy Wilder que Shirley MacLaine provou porque é uma das melhores actrizes da história. A sua beleza não seguia os padrões dos sex-symbols da era, a sua frontalidade valeu-lhe muitos inimigos na indústria, mas ainda hoje, cinquenta anos depois de ter começado, Shirley MacLaine ainda dá provas do seu gigantesco talento.
A estreia não podia ter sido mais auspiciosa. Foi em 1955 no divertido Troubles With Harry de Alfred Hitchcock. O realizador reparou nela, lançou-a para a ribalta, e assim nasceu uma estrela. Em 1958 faz uma performance inesquecivel - uma das melhores de sempre certamente - em Some Came Running de Vincent Minelli. Um desempenho poderosissimo que lhe vale uma primeia nomeação ao óscar. Algo que repetirá dois anos depois pelo seu assombroso desempenho em The Apartment de Billy Wilder. O filme marcará a primeira colaboração entre ambos que conhecerá novo capitulo de sucesso em 1963 com Irma la Douce. Nova nomeação e nova derrota para McLaine que começa a mostrar o seu descontentamento com Hollywood. Os anos 60 e 70 passam a correr até que chega em 1975 o seu premiado documentário, The Other Half of the Sky, um trabalho sobre a China. Dois anos depois a quarta nomeação ao óscar pelo seu papel em Turning Point. O resultado final foi o mesmo. Foi preciso esperar até 1984 para que a já veterano actriz levasse de vencida as rivais e subisse ao palco para reclamar o óscar. Num dos mais espantosos discursos de sempre, MacLaine abre dizendo "I deserve this...i really deserve this!". Estava feita justiça. A carreira da meia-irmã de Warren Beatty continua calmamente, com alguns pontos altos como Stealing Magnolias ou Guarding Tess. O último ano foi bastante activo para MacLaine que regressa em estilo, primeiro em In Her Shoes, já por cá estreado, e também com Rumor Has It. A sua carreira mostra sinais de que não vai parar tão cedo. O mundo agradece!

quarta-feira, 15 de junho de 2022

Salma Hayek

Produto das novelas mexicanas a verdade é que o seu talento tem vindo a despontar à medida que os anos passam. Sem receio de encarnar as mais diversas personagens, a sua carreira mostra-se extremamente promissora.

Conta-se que Salma Hayek, quando soube da exposição e da natureza das suas cenas de sexo com Antonio Banderas em Desperado, chorou, tremeu e pensou em desistir de ser actriz. Mas algo dentro dela convenceu-a a continuar em frente. E foi aí que se percebeu que havia algo nela que a destinava a grandes feitos.
Tudo começara anos antes, a 2 de Setembro de 1966 em Vera Cruz no México. Salma Hayek nascia numa época de expansão do México. A sua mãe era cantora de ópera. O pai era um empresário libanes de sucesso. A sua vida correu bem desde os primeiros minutos e foi ao ver cinema que descobriu que queria fazer cinema. Por isso trabalhou desde cedo para alcançar o seu sonho. Em 1989 a sua estreia na televisão mexicana marcaria o primeiro passo da carreira de uma das mais bem sucedidas actrizes mexicanas de sempre.
O seu primeiro filme chegaria em 1992, quando já era vista como uma estrela nacional no México. Mas Hollywood era outra conversa e durante bastante foi dificil arranjar trabalho. Os seus primeiros filmes não passaram á história e foi preciso um americano de origem mexicana, o realizador Robert Rodriguez, para a aproveitar em toda a plenitude. Desperado marcou o inicio da sua carreira, não só como actriz, mas também como sex-bomb latina da década de 90.


Seguiu-se então um final de anos 90 extremamente positivos para a sua carreira. Voltou a trabalhar com Rodriguez em From Dust Till Dawn e começou a ganhar destaque no mercado norte-americano com papeis em filmes como Fools Rush In, 54, Breaking Up e Dogma. Em 1999 aparecia ao lado de Will Smith e Kevin Kline no filme Wild Wild West e confirmava-se como a actriz latina de eleição em Hollywood. Mesmo a sua recem criada produtora tinha sucesso, produzindo o candidato mexicano ao óscar de filme estrangeiro em 1999, filme que estaria igualmente em Cannes e outros festivais de cinema.
Em 2002 o destaque chegaria com Frida. Interpretar uma heroina mexicana era um desejo antigo da jovem actriz que se transformou por completo na pintora conseguindo um desempenho verdadeiramente arrebatador, o que lhe acabou por valer a nomeação ao óscar de melhor actriz, uma área normalmente vedada a hispanicos.


Aproveitando a máre, Hayek estreou-se no ano seguinte como realizadora do filme The Maldonado Miracle que fez furor em Sundance. No final desse ano a actriz voltaria a viver a mesma personagem que a tinha lançado para a fama na continuação de Desperado, o filme Once Upon a Time In Mexico. Já este ano a actriz assinou participações em After the Sunset e Ask the Dust, estando preparada para entrar no primeiro filme furor latino, um filme que junta as duas sex-symbols da comunidade latina em Hollywood, Salma Hayek e Penelope Cruz.

sexta-feira, 10 de junho de 2022

Anthony Hopkins



O titulo de Sir assenta-lhe que nem uma luva. Depois de anos em que esteve afastado das telas, os últimos quinze anos mostraram nele um dos maiores actores de todos os tempos, e, provavelmente, uma das maiores lendas vivas da representação. Apesar de ter conquistado a fama graças a um mitico papel, na verdade, é toda uma carreira que está, e ficará para sempre, na memória da história do cinema...


Um dos mais icónicos actores britânicos da actualidade, Sir Anthony Hopkins é a prova de que velhos são os trapos. Apesar de ter entrado tarde para a ribalta, ninguém duvida que Hopkins é dos actores mais completos a surgirem nos últimos 15 anos da história do cinema.

Nascido Philip Anthony Hopkins a 31 de Dezembro de 1937 no Pais de Gales, a vida de Anthony Hopkins dividiu-se entre os palcos e os estudios de cinema mas a verdade é que a representação sempre foi tão importante para ele como o ar que respira.
Apesar de ter tido uma infancia dura e de detestar ir à escola, especialmente nos dificeis invernos galeses, foi no teatro que encontrou a sua verdadeira inspiração. Protegido do mitico Laurence Olivier deu os primeiros passos como actor profissional na década de 60 nos palcos londrinos. Em 1967 experimentava o cinema no filme The Wihte Bus, depois de ter também aparecido numa serie de televisão. No ano seguinte mostrou pela primeira vez ao mundo todas as suas potencialidades como actor ao encarnar Ricardo Coração de Leão no já mitico filme Lion in Winter. Ao lado de outros actores que dividiram a carreira entre os palcos e o cinema como eram Peter O´Toole, Khaterine Hepburn e Timothy Dalton, o jovem Hopkins soube encarnar o principe Ricardo com grande entusiasmo o que lhe valeu eventualmente o aplauso da critica. O primeiro!


No entanto, apesar de todos esperarem que ele se confirmasse como uma das grandes esperanças do cinema britânica, Hopkins preferiu dividir-se nos vinte anos seguintes pelos palcos e pelas series de televisão. Entre 1968 e 1988 fez apenas 11 filmes, mas em troca brilhou nos palcos londrinos e ainda conseguiu vencer dois Emmys, pelos seus desempenhos em The Bunker, onde encarnou Adolf Hitler, e The Linderberg Kidnapping Case.
Entre a pouca mais que uma dezena de filmes em que entrou destacam-se Juggenaut, filme de 1974, Magic, de 1978, e ainda The Elephant Man, estreia de David Lynch na realização, filme hoje já de culto especialmente pelo desempenho notável de John Hurt. Por essa altura superou a sua dependência do alcool, salvando-se assim de encontrar o mesmo destino que o seu amigo e compatriota Richard Burton, com o qual era várias vezes comparado.


No final dos anos 80, e depois de se ter consagrado como um dos maiores actores de teatro de sempre em Inglaterra, Anthony Hopkins decidiu finalmente dar o salto para o cinema de Hollywood. Era uma medida algo arriscada e por isso Hopkins tentou escolher os papeis certos. E assim acabou por acontecer.
A Chorus of Disaproval foi uma aposta ganha para um come-back tal como Desperate Hours, outro filme em que o seu desempenhou surge imaculado. Mas foi em 1991 ao encarnar aquele que acabou por ser eleito como o maior vilão da história do cinema, Hannibal Lecter, que Hopkins finalmente encontrou o seu espaço na constelação de estrelas de Hollywood.
A sua performance de assassino sem piedade em The Silence of the Lambs foi esmagadora. Roubou todas as cenas do filme, mesmo as que partilhava com Jodie Foster, e criou um estilo muito próprio. Algumas das sequências do filme passaram mesmo para a história. Apesar de aclamado, poucos pensavam que poderia vencer o óscar da Academia. Mas tal como o realizador do filme, Jonathan Demme, e também Jodie Foster, também coube a Hopkins triunfar na categoria de melhor actor. Um ano dourado para Hopkins que (re)começava assim em grande a sua carreira cinematográfica.


Imediatamente após o sucesso de The Silence of the Lambs, Hopkins decidiu apostar na personagem mais oposta possivel de Hannibal Lecter. E isso levou-o a encarnar Van Helsing, o caçador de vampiros no filme The Bram Stoker´s Dracula de Francis Ford Copolla. No mesmo ano daria outra interpretação imaculada no drama de época Howard´s End, ao lado de Emma Thompson que acabaria por vencer o óscar. Para finalizar 1992 Hopkins teria ainda uma participação em Chaplin, filme sobre o notável actor e homem que foi Charles Chaplin. 
Com a carreira em grande forma, o ano de 1993 provou continuar esta tendência. Shadowlands e The Remains of the Day mostraram um Hopkins austero, grave mas extremamente cativante. Muitos já pediam mesmo novo óscar para a estrela britânica que recebeu a sua segunda nomeação por Remains of the Day. Por essa altura em Londres era agraciado com o titulo de Sir.
E depois de um ano de 1994 mais calmo, Hopkins volta aos seus papeis explosivos em Nixon onde dá a vida ao polémico presidente norte-americano. Um Nixon nunca visto diriam muitos e mais uma nomeação para o óscar de melhor actor, nomeação que acabou por não ser bem sucedida. Mesmo assim já todos tinham percebido. Anthony Hopkins era dos melhores actores do momento.


Por esta altura Hopkins concentrou-se em papeis históricos. Depois de viver Nixon foi a vez do actor dar corpo a Pablo Picasso no notável Surving Picasso onde volta a mostrar traços de génio. Estavamos em 1996. E no ano seguinte nova nomeação ao óscar, desta feita por melhor actor secundário em Amsitad. Ao interpretar corajosamente o antigo presidente dos EUA, John Quincy Adams neste esquecido épico de Steven Spielberg, o já veterano actor britânico (fazia 60 anos)instalava-se definitvamente no Olimpo dos grandes actores. Seria um ano chave na sua carreira. A partir daí muitos clamam que Hopkins progressivamente se afastou do cinema. E de facto nem os filmes são muitos nem as criticas bénovolas. Mas mesmo assim Hopkins provaria que estava bem vivo.


Meet Joe Black e The Mask of Zorro mostraram bem toda a sua versatilidade. Se ao lado de Brad Pitt soube recuperar a imagem de homem austero mas de principios de uma forma surpreendente, já no filme de aventuras inspirado no legendário heroi mexicano, Hopkins deu uma imagem de um Zorro nunca visto, por contraposto com o destemido António Banderas. Um papel de verdadeira classe mas que, por ser num filme demasiado comercial, foi obviamente desvalorizado.
Depois de recusar voltar a encarnar a personagem que o tornou celebre nos Estados Unidos, por não querer ficar marcado apenas por um papel, Hopkins reconsiderou e voltou a viver o "seu vilão" em Hannibal. Talvez os dois sucessivos fracassos que foram Titus e Instinct tivessem despertado nele uma nostalgia compreensivel. Só que Hannibal esteve muito longe de Silence of the Lambs (Foster recusou voltar) mas Hopkins não aprendeu a liçao voltando em Red Dragon, o terceiro filme à volta da personagem maquiavélica de Lecter. E tal como o anterior, também este filme se pautou por um considerável fracasso.


Só que já no ano passado, ao lado de Nicole Kidman no sucesso de Philiph Roth, The Human Stain, o veterano Hopkins provou que estava vivo e bem vivo. E para os próximos anos esperam-se mais filmes do actor. Em Alexander, Hopkins será Ptolomeu, e há quem coloque a hipótese de uma segunda nomeação como secundário. No próximo ano contracenará ao lado de Gwyneth Paltrow em Proof, um filme cuja estreia acabou adiada já que era apontado como um dos bons filmes a ver este ano. 


Anthony Hopkins pode não ter construido uma longa carreira no cinema, mas a sua versatilidade entre teatro, televisão e a sétima arte deram-lhe uma garra que poucos actores se podem vangloriar em ter. É sem duvida hoje, ao lado de Peter O´Toole, o maior actor ingles em actividade e isso já diz muito do que mostrou nos últimos quinze anos em que se dedicou a valer ao cinema. Desde Hannibal Lecter, a personagem à qual ficará ligado para sempre, passando por Richard Nixon ou Ricardo Coração de Leão, a nobreza das suas personagens é sempre igual à qualidade e fé que deposita nelas. E é isso que o torna tão grande!

domingo, 5 de junho de 2022

Pierce Brosnan

Se fizermos uma pequena sinopse da carreira deste interessante actor irlandes, vemos imediatamente um nome que nos salta à vista. De facto foi a mitica personagem James Bond que deu um outro destaque a Brosnan. Com o seu charme e distinção soube ressuscitar um mito, tornando-se ele mesmo numa figura incontornável do cinema de hoje.

Nascido a 16 de Maio de 1953 em Drogheda na Irlanda, Pierce Brosnan tornou-se num dos maiores simbolos irlandeses de hoje. E isso graças à sua notável performance como o mitico 007 numa serie de quatro filmes.
Ainda jovem mudou-se da Irlanda para Inglaterra, sem o pai que tinha abandonado a familia. Foi um padrasto que o criou e o levou a ver o seu primeiro filme quando tinha 11 anos. O filme era, curiosamente, Goldfinger. E foi aí que Brosnan se apaixonou pela representação, tendo anos mais tarde começado a estudar dramaturgia. Em 1979 teria o seu primeiro papel no filme Resting Rought. E seria em pequenos papeis que Pierce Brosnan se formaria como actor. O grande salto para a fama chegaria anos mais tarde. Em 1982, com 29 anos, estreou-se como protagonista em Remington Steele. A serie viria a tornar-se uma das mais populares da década no Reino Unido, e granjeria muitos apoios a Brosnan. De tal forma que em 1986 ele foi o nome escolhido para suceder a Roger Moore como James Bond. Mas o contracto que o ligava à serie impediu-o de ser Bond. Mais tarde o destino cumprir-se-ia, ainda por mais porque Timothy Dalton nunca soube convencer os fãs de 007.


Com o final de Remington Steele, no fim da decada de 80, Brosnan começou a trabalhar em filmes que se revelaram verdadeiros fracassos. Pior aconteceria em 1990 quando a sua primeira mulher, Cassandra Harris, morria nas suas mãos, depois de completaram dez anos de casados. Deixou Brosnan como um viuvo inconsolável e tres filhos nos braços. Durante muitos anos a morte da mulher afectou Brosnan que continuava a não ver a sua carreira descolar. Depois de alguns trabalhos para a televisão, eis que a carreira de Brosnan dá uma volta de 180º graus. Dalton falhara em convencer e fizera apenas dois filmes como 007. Os produtores da serie queriam de novo Brosnan e desta vez o actor irlandes não se fez rogado. Em 1995 estreou-se em Goldeneye e pela primeira vez em quinze anos, o filme foi um sucesso estrondoso. Brosnan tinha feito o que poucos conseguiriam: recuperar um icone da cultura contemporânea e levá-lo a bom porto neste novo mundo impiedoso para personagens como Bond.
Depois do sucesso do filme, começaram a chegar convites para outros projectos de sucesso como Dante´s Peak, Robinson Crusoe e Mars Attack. Em 1997 chegava um novo Bond, Tomorrow Never Dies, e mais um considerável sucesso.


Desde aí a sua carreia consolidou-se. Em The Thomas Crown Affair, mostrou que o seu charme não é exclusividade dos filmes de 007. Em The Nephew estreou a sua recém-fundada produtora. E um segundo casamento com Kaily Shie-Smith, que resultou em mais dois filhos, tornou-o um homem feliz. The Tailor of Panama e The World is Not Enough mantiveram-no em alta. Só que a situação viria a mudar subtilmente em 2002. No final de Die Another Day, Brosnan mostrou-se cansado de Bond. A personagem tinha estagnado e os filmes começavam a vulgarizar-se. Brosnan queria mudar o estilo da personagem. Um dia chegou mesmo a dizer que queria "matar Bond." O estúdio não gostou e afastou-o do próximo projecto. O seu sucessor ainda não foi escolhido mas terá uma dificil tarefa em mãos. Já o futuro de Brosnan parece interessante. Este ano estreou After the Sunset, o que se pensava ser a sequela de The Thomas Crown Affair, mas em 2005 apresentará a verdadeira sequela do seu maior sucesso fora do universo Bond em The Topkapi Affair.
Pierce Brosnan é um verdadeiro embaixador do charme, e um actor que prova que o talento e a subtileza de uma interpretação de tons sedutores pode ser mais uma arma do que um contra-tempo. Resta saber se o futuro mostrará Brosnan algo mais que a sombra de um agente secreto conhecido de todos.



sexta-feira, 3 de junho de 2022

Mistérios do universo que ninguém resolveu - Uma alforreca imortal

Benjamin Button pode ter sofrido de uma doença que o fez envelhecer para trás, com uma dose pesada de Hollywood para o tornar credível. Mas e se lhe falássemos de um tipo de alforreca que na realidade cresce para trás de um adulto para um bebé?

Bem, é verdade! E além disso, é capaz de o fazer repetidamente.

A chamada medusa imortal tem apenas o tamanho de uma unha do mindinho humano e é bastante comum. Nasce da reunião normal de um espermatozóide e de um óvulo flutuante livre, mas se for stressado por lesões ou fome, pode transferir todas as suas células para um estado mais jovem.

Passa então de uma medusa adulta, embora pequena, para um quisto em forma de gota, que na realidade é uma medusa bebé. Pode então produzir cópias idênticas de si mesmo que depois se tornam adultos e agora invadem os oceanos do mundo.

Isto levou os biólogos marinhos a repensar o que sabem sobre a reprodução de medusas. Dizem que o oceano tem muitos segredos, mas poderá ser o segredo dos humanos anti-envelhecimento? Quem sabe!

Lugares cientificamente impossíveis que realmente existem - A Floresta Torturada



A Floresta Torturada da Polônia há muito acena aos visitantes com uma inclinação para o incomum. A ciência sugere que as árvores em forma de J que estão crescendo dentro delas são uma impossibilidade. No entanto, elas estão aqui para que todos vejam – mesmo que uma razão para sua natureza deformada não possa ser explicada.

Existem inúmeras teorias sobre a Floresta Torturada, mas até agora nenhuma foi provada ou desmentida.

Conhecida pela população local como Krzywy Las, a floresta pode ser encontrada nas franjas ocidentais da Polônia, não muito longe da fronteira com a Alemanha. Alguns acreditam que os tanques invasores achataram jovens mudas durante a Segunda Guerra Mundial, fazendo com que as árvores em recuperação tomassem uma forma tão estranha.

Mas outros culparam alienígenas, flutuações gravitacionais e a espessa queda de neve pela qual a região é conhecida – tudo sem provas ou argumentos convincentes. É possível que a verdade seja mais mundana. Alguns afirmam que as árvores foram manipuladas pela mão humana para criar formas feitas sob medida para fins de construção.

Mistérios do universo que ninguém resolveu - As irmãs Pollock foram reencarnadas?

Uma triste história desenrolou-se em Northumberland, Inglaterra, em 1957, quando uma mulher, esmagada pela dor de estar separada dos seus filhos, tomou um cocktail de medicamentos prescritos, depois conduziu o seu carro com a intenção de acabar com tudo isto.

Tragicamente, embora tenha batido com o seu carro, não morreu, mas matou duas irmãs, Joanna Pollock, 11, a sua irmã Jacqueline, 6, e a sua amiga. Um ano mais tarde, os pais de Joanna e Jacqueline tiveram meninas gémeas, Gillian e Jennifer.

Logo após o nascimento dos gémeos, estranhas semelhanças começaram a aparecer entre os bebés e as suas irmãs mais velhas, que tinham morrido no ano anterior. Por exemplo, Jennifer tinha uma marca de nascença idêntica à de Jacqueline e uma cicatriz acima do olho, que também era idêntica à que Jacqueline tinha sofrido num acidente de infância.

A infância das gémeas também mostra muitas semelhanças, tais como os brinquedos com que brincam, os seus hábitos e personalidades, que ecoam os das suas irmãs mais velhas. Embora tenham deixado a sua cidade natal quando eram bebés, quando regressaram sabiam onde estavam e ambos tinham muito medo de carros, alegando que vinham buscá-los.

Como uma Gillian adulta teve visões de brincar num determinado areal, que nunca tinha visitado, mas Joanna teve.

Será que os gémeos herdaram a dor dos seus pais ou desenvolveram um comportamento aprendido? Ou foi este o caso mais convincente de reencarnação?

Mistérios do universo que ninguém resolveu - Porque é que Stonehenge foi construído?

Stonehenge, um dos locais mais famosos do sul de Inglaterra, ergue-se orgulhosamente na planície de Salisbury. É também um dos megalíticos mais falados e está rodeado de mistério e intriga.

Como é que estas pedras gigantescas chegaram onde estão, e porquê? As maiores pedras, chamadas sarsens, têm 9 metros de altura e pesam 25 toneladas. Pensa-se que tenham vindo de Marlborough Downs, a 20 milhas de distância. As pedras mais pequenas pesam cerca de 4 toneladas, o que é relativamente ‘leve’, mas pensa-se que tenham vindo do País de Gales, a 140 milhas de distância.

Pensa-se que todo o site tenha evoluído durante um período de 10.000 anos e era muito, muito maior. A zona a que chamamos Stonehenge foi construída há cerca de 5.000 anos. Dezenas de locais de sepultamento e santuários foram também descobertos nesta área sagrada.

Como muitos de nós também aprendemos na escola, as pedras estão perfeitamente alinhadas com o nascer e pôr-do-sol do solstício de Verão.

Por causa da sua beleza e, francamente, das suas espantosas proezas arquitectónicas, talvez seja mais romântico nunca saber quem colocou lá Stonehenge e porquê? Talvez seja melhor deixar algumas coisas por explicar…

Mistérios do universo que ninguém resolveu - Como irá o universo acabar?

Como, e especialmente quando, irá o universo acabar? Os cientistas acreditam que nos restam pelo menos 1,1 mil milhões de anos. Portanto, não há necessidade de preocupação no futuro imediato antes da Terra chegar ao ponto em que toda a vida é impossível.

Eles também acreditam que quando o fim do universo ocorrer, será devido a um de quatro eventos: o Big Rip, o Big Freeze, o Big Crunch e o Big Slurp.

O Big Rip será devido à energia negra e ao facto de o universo estar em constante expansão. Eventualmente, será tão grande que não se poderá sustentar a si próprio e despedaçar-se-á. O Grande Congelamento também se baseia no nosso universo em constante expansão, mas neste cenário tornar-se-á tão grande que tudo estará tão distante que não haverá luz dos sóis e das luas, e tornar-se-á cada vez mais frio até que toda a vida pare.

Em contraste com o Big Bang, que formou tudo, o Big Crunch postula que o universo não continuará a expandir-se, mas chegará a um ponto em que cairá sobre si mesmo até que tudo caia num buraco negro.

Finalmente, o Big Slurp tem a partícula de Higgs Boson recentemente descoberta no seu centro. De alguma forma, esta partícula está ligada à possibilidade de uma bolha de outro universo se infiltrar no nosso próprio e literalmente engoli-la.

Não temos a certeza absoluta do que parece menos terrível – felizmente não estaremos por perto para o testemunhar!

Então, o que pensa? Tem as suas próprias teorias sobre alguns ou talvez todos estes mistérios inexplicáveis? Será que algumas poderiam ser explicadas por simples coincidência? Será que a ciência tem a resposta? Alguns deles são uma piada engraçada tirada do contexto?

Ou há algo mais sinistro em jogo? Estamos sozinhos na Terra? No universo? Poderíamos ser observados e testados por seres extraterrestres com os quais ainda não nos encontrámos?

Quem sabe? Mas é divertido pensar nisso!

Lugares cientificamente impossíveis que realmente existem - Hessdalen Lights

As luzes Hessdalen são lindas – mas desconcertantes. Os cientistas há muito ponderaram sua causa. Mas apesar das inúmeras investigações e pesquisas, a razão para este fenômeno norueguês continua desconhecida.

As Luzes foram relatadas pela primeira vez na década de 1930 e cativaram os visitantes desde então. Às vezes, o espetáculo dura apenas alguns segundos. Mas em algumas ocasiões, as luzes amarelas, brancas, vermelhas, verdes e azuis podem brilhar por mais de uma hora.

Localizado na Noruega rural, as Luzes iluminam um trecho de 7,5 milhas do Vale de Hessdalen. Elas podem aparecer durante o dia ou durante a noite e parecem flutuar e flutuar. Mas ninguém sabe por quê, com cientistas lutando para encontrar uma resposta ou oferecer uma explicação. As Luzes de Hessdalen são mais predominantes em alguns períodos do que em outros – com avistamentos que aumentaram nos anos 80, mas que se mostraram menos comuns em tempos recentes. Isto apenas aumenta o mistério em um lugar que continua a confundir.

Mistérios do universo que ninguém resolveu - A bola púrpura

Perto da costa da Califórnia, encontrará o Parque Nacional das Ilhas do Canal da Mancha, uma bela parte do mundo com vistas excepcionais e reservas naturais de cortar a respiração. Mas é debaixo da superfície da água que as coisas começam a ficar misteriosas em torno desta cadeia de oito ilhas.

Em 2016, uma equipa de exploração navegou para a área e utilizou um navio de exploração para submergir, e foi lá que descobriram uma “estranha bola roxa incandescente” que, segundo disseram, parecia um Pokémon sem igual.

A bola roxa não media mais do que alguns centímetros de diâmetro e deixou os investigadores perplexos, pois uma criatura como esta nunca tinha sido vista antes. Tudo, desde esguichos do mar a lesmas do mar, medusas e corais foram considerados, mas a criatura não satisfazia todos os critérios necessários para ser uma dessas criaturas.

Uma vez a bordo do navio, as coisas tornaram-se ainda mais misteriosas, uma vez que começou a desdobrar-se em dois lóbulos distintos. A equipa pensou que poderia ser um novo tipo de ‘nudibranch’, uma espécie de lesma do mar. Mas outros pensaram que poderia ser um embrião, mas que tipo de embrião, não têm a certeza.

Então é uma espécie nova e desconhecida? Ou será algo completamente diferente? Só o tempo dirá…

Mistérios do universo que ninguém resolveu - Um selo com uma enguia nas narinas

Não é raro ver fotografias bonitas de um animal apanhado a fazer uma parvoíce. Mastigar chinelos, arranjar problemas e roubar comida são passatempos comuns para alguns animais – mas estes são mais susceptíveis de serem animais de estimação do que animais selvagens.

Assim, quando investigadores que estudavam as vidas de focas-monge havaianas ameaçadas de extinção encontraram uma com uma enguia malhada pendurada na narina, ficaram perplexos. Os animais selvagens são tão brincalhões e despreocupados como os nossos cães e gatos?

A fotografia desta foca despretensiosa com uma enguia no nariz é muito gira, mas a pobre criatura deve ter sentido que tinha o pior nariz entupido de sempre. Os investigadores da US National Oceanic and Atmospheric Administration (Noaa) estudam estes selos há 40 anos, e surpreendentemente esta não é a primeira vez que encontram um nesta situação.

Desde 2016, encontraram uma mão-cheia de enguias no nariz. Pensam que isto pode dever-se a uma de duas coisas: a enguia pode ter escorregado para dentro da narina de uma foca quando procurava alimento, enfiando o nariz e a cara em fendas rochosas e corais. Ou, é comum as focas regurgitarem os seus alimentos e vomitá-los da boca e do nariz. Poderiam ter comido uma enguia por engano?

A verdade é que eles simplesmente não sabem. Quem sabia que os selos podiam ser tão secretos?

Lugares cientificamente impossíveis que realmente existem - kawah Ijen

O ativo vulcão Kawah Ijen em Banywang Regency, Java é um dos vulcões mais extraordinários do mundo. Em vez de produzir a habitual lava vermelha e fumaça preta, suas atividades subterrâneas resultam em lava azul elétrica e chamas subindo para o ar

A lendária lava azul de Kawah Ijen há muito tempo atraiu os curiosos para Java. Aqui, nesta deslumbrante ilha indonésia, as espetaculares erupções do vulcão são um espetáculo para se ver. O fenômeno fascinou durante muito tempo os cientistas. Mas embora as cores não possam ser questionadas, a causa subjacente não é a que a maioria acredita. A lava aqui não é originalmente azul, mas se torna devido a um fenômeno natural. De fato, o vulcão tem alguns dos mais altos níveis de enxofre do mundo e quando os gases sulfúreos do vulcão entram em contato com a temperatura do ar acima de 360ºC, a lava fica azul.

Outro fato interessante sobre este lugar é que é o lar de uma das mais perigosas operações de mineração de enxofre do mundo. As condições de trabalho são precárias e os trabalhadores expostos aos gases de enxofre tóxicos por longos períodos de tempo desenvolvem problemas de saúde a longo prazo. Interessado em visitar? Não se aventure aqui por conta própria. Uma coisa muito legal a fazer é uma visita guiada noturna em grupo ao vulcão para ver o fenômeno das chamas azuis.

Mistérios do universo que ninguém resolveu - A ponte que enfeitiça os cães

Se possuir, ou já possuiu, um cão, sabe que na maioria das vezes eles são felizes e excitáveis, especialmente quando andam a pé. Por isso é triste ouvir esta história sobre uma ponte na Escócia onde centenas de cães saltaram subitamente da ponte depois de aparentemente terem sido forçados a fazê-lo.

Os proprietários descreveram os incidentes como cães congelados e depois “possuídos por uma energia estranha” antes de correrem e saltarem da ponte Overtoun em Dumbarton. Desde os anos 50, muitos cães perderam tristemente a vida nas rochas perigosas abaixo.

A explicação racional é que eles seguem o cheiro de pequenos mamíferos que vivem debaixo da ponte. Mas mais misteriosamente, os celtas pagãos chamam a esta área um “lugar fino” onde o céu e a terra se sobrepõem. Muitos habitantes locais dizem ter visto ou sentido espíritos na área.

A Escócia é conhecida por ser um lugar espiritual, cheio de superstições, e diz-se que o fantasma da Senhora Branca de Overtoun, uma figura triste e de luto que já foi denunciada mais de uma vez, percorre a ponte. Atrairia os cães até ela para a ajudar a superar o seu sofrimento? Ou seria simplesmente o cheiro irresistível de um pequeno animal abaixo?

Mistérios do universo que ninguém resolveu - A Luz Gurdon

Ao contrário de muitos avistamentos misteriosos que apenas tiveram um olhar fugaz ou nunca foram capturados, a Luz Gurdon foi fotografada, vista na televisão e é aceite como realmente existente.

O mistério aqui não é se ele existe ou não, mas o que o provoca. A Luz Gurdon é uma estranha luz azul-branca sobre uma via férrea ainda em uso no Arkansas e move-se de lado a lado, balançando como se uma lanterna fosse transportada por um ser invisível.

Foi documentado pela primeira vez na década de 1930, pouco depois da execução de um trabalhador ferroviário pelo assassinato de um colega. Poderá ser o aparecimento de um trabalhador ferroviário, balançando a sua lanterna em busca de vingança?

Os habitantes locais também dizem que pode ser o fantasma de um homem infeliz que caiu na linha do comboio e perdeu a cabeça – que nunca foi encontrada. Poderia ele andar a vaguear pelos trilhos à noite, à procura da sua cabeça?

As luzes da auto-estrada local foram descartadas, pois os avistamentos começaram muito antes da construção da auto-estrada próxima. Os cientistas também descartaram esta hipótese com base na velocidade a que a luz aparece e desaparece. É impossível chegar suficientemente perto da luz para descobrir o que ela é, porque está em constante movimento. Poderá este ser um daqueles mistérios que nunca serão resolvidos?

Mistérios do universo que ninguém resolveu - Lars Mittank, onde está?

De acordo com o YouTube, Lars Mittank é a pessoa desaparecida mais famosa do mundo. O alemão de 28 anos estava de férias na costa do Mar Negro na Bulgária com amigos em Junho de 2014. Durante alguns dias, Lars e os seus amigos festejaram no infame resort Golden Sands, mas depois entrou numa luta e sofreu uma ruptura do tímpano.

Desapareceu durante o resto da noite, regressando na manhã seguinte para dizer que os tipos com quem tinha lutado tinham contratado outros homens para o espancarem mais. Os médicos receitaram então a Lars um antibiótico forte para o seu ouvido, e aconselharam-no a não voar.

Os seus amigos disseram que ficariam com ele e voariam quando fosse seguro, mas Lars disse que ele ficaria bem por sua conta. Lars fez então check-in num hotel barato perto do aeroporto, onde foi visto em circuito fechado de televisão a passo e com um ar paranóico.

Quando chegou ao aeroporto de Varna alguns dias mais tarde, Lars estava visivelmente em pânico. Subiu a cerca de 2,5 metros de altura e saltou para a floresta densa que rodeava o aeroporto. Desde então, ele nunca mais foi visto ou ouvido de…

A especulação sugere que o ataque, combinado com a utilização de antibióticos poderosos, desencadeou um grave problema de saúde mental. Mas como não há história ou história familiar de nada disto, o desaparecimento de Lars continua sob investigação.

Lugares cientificamente impossíveis que realmente existem - Lake Karachay

Planejando uma viagem à Rússia? Este é um local a evitar a todo custo. A costa cênica do Lago Karachay é considerada o lugar mais poluído do planeta. Nos anos 90, testes revelaram que apenas ficar perto do lago por uma única hora resultaria, muito provavelmente, em morte.

O grande problema aqui é a radiação. Durante décadas, os soviéticos trabalharam em um projeto de bomba atômica ultra-secreto nesta região remota. Os resíduos radioativos? Foram todos despejados no Lago Karachay. Conveniente, talvez. Mas isto teve um custo muito alto.

A paisagem aqui pode ser bela, mas também é mortal. A ciência pode sugerir que tais níveis de radiação são impossíveis, mas os soviéticos descuidados têm provado o contrário. Desde então, o lago foi preenchido, mas os riscos permanecem, com o solo aqui apresentando graves perigos para a saúde humana. O governo russo tem acesso restrito, o que significa que é impossível visitá-lo – não que você queira visitá-lo.


Mistérios do universo que ninguém resolveu - O desaparecimento do voo da Malaysia Airlines MH370

O desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines é talvez um dos mais pungentes da nossa lista de mistérios não resolvidos.

Como pode um Boeing 777 inteiro transportando dez tripulantes e 227 passageiros simplesmente desaparecer sem deixar rasto sobre o Oceano Índico? Mas foi isso que aconteceu: 39 minutos após a descolagem, o avião desapareceu do radar algures entre Kuala Lumpur e o espaço aéreo vietnamita.

Será que os funcionários sabem mais do que dizem? Assim que o avião desapareceu do radar, fez uma curva brusca e inesperada e continuou a voar na direcção errada antes de desaparecer de novo. Esta informação é confirmada por dados secretos da Força Aérea Malaia, que não foram divulgados na altura, e os oficiais dizem que, por ter demorado cerca de uma hora, não podem excluir um acidente, um sequestro ou um suicídio do piloto.

Outras informações de satélite sugerem que o avião continuou realmente por mais seis horas e está localizado, através de um arco de satélite, no Cazaquistão se virou para norte ou no Oceano Índico se virou para sul. Esta última é a hipótese do perito, assim como a teoria de que o avião mergulhou então no oceano a uma velocidade que o partiu em milhões de pedaços.

Mas porquê? Porque é que o avião continuou na direcção errada durante horas, sem ser detectado, antes de cair subitamente do céu? Ninguém sabe. Ou alguém o faz? ?

Mistérios do universo que ninguém resolveu - Como é que os pirilampos piscam em uníssono?

As Great Smoky Mountains estão localizadas na fronteira da Carolina do Norte e Tennessee. Estas montanhas são o lar de enormes enxames de uma certa espécie de pirilampos, um dos únicos tipos de pirilampos capazes de sincronizar os flashes dos seus órgãos produtores de luz, chamados lanternas.

A luz de um pirilampo é bela, mas este misterioso fenómeno de dezenas de milhares de pirilampos que emitem flashes sincronizados deixou os investigadores perplexos. Como é que o fazem?

Este espectáculo de luz natural ocorre durante cerca de duas semanas por ano durante a época de acasalamento, quando os machos piscam as suas lanternas enquanto aparecem para dançar, para impressionar as fêmeas. Os investigadores acreditam que se inspiram uns nos outros para criar uma onda de flashes e luzes em cascata. Para o olho humano, parece que há flashes simultâneos.

Mas a ciência não consegue explicar como milhares e milhares de pirilampos fazem isto juntos. Especialmente porque um pirilampo só pode comunicar imediatamente com as poucas pessoas que o rodeiam.

A Mãe Natureza provavelmente tem a resposta, mas como é frequentemente o caso, ela tem as suas cartas fechadas.

Mistérios do universo que ninguém resolveu - O fundo do oceano

Quando se pensa no fundo do oceano, o que se imagina? Se é algo como nós, diria que é plano e arenoso, como quando molha os dedos dos pés no mar. Mas na realidade, o fundo do mar é tão diverso como a terra, com muitas crateras, vales e cadeias montanhosas.

Pensa-se que sabemos mais sobre a superfície da Lua do que o que está por baixo dela. No entanto, estas paisagens marítimas são vitais para as pescas que alimentam milhares de milhões de pessoas, os cabos submarinos que levam a Internet a milhares de milhões de pessoas e mesmo o comportamento do nosso tempo.

É por esta razão que os cientistas passam tanto tempo a tentar mapear o fundo do mar. Ao fazê-lo, descobriram tesouros ricos, mas não os baús cheios de ouro pirata que se possa pensar. Pelo contrário, o fundo do oceano esconde um fornecimento abundante de minerais raros, metais preciosos, petróleo e mesmo diamantes.

Mas devemos começar a explorar o fundo do oceano? Poderíamos descobrir aí problemas de que ainda não estamos conscientes? E quanto aos danos ecológicos que a vida humana tem causado à terra? Poderíamos fazer o mesmo com o fundo do mar? E de quem é o fundo do oceano?

Por todas estas razões, devemos deixá-lo em paz? Ou devemos arriscá-lo pelos seus abundantes e valiosos recursos?


Lugares cientificamente impossíveis que realmente existem - Árvore Dupla

Turistas se reúnem ao Piemonte para ver a famosa árvore dupla da Itália. Aqui — em um local muito visitado, entre Grana e Casorzo — uma cerejeira cresce no topo de uma amoreira. A ciência sugere que tal coisa não deveria ser possível. Mas não pode haver contestação dos fatos. Este lugar — e estas árvores — existem de fato.

Chamada de Árvore Dupla de Casorzo — ou Bialbero di Casorzo — esta é uma anomalia e tanto. Não é inédito para uma árvore crescer em cima de outra. Mas o crescimento tende a ser limitado em tais casos, sem que nenhuma árvore seja capaz de prosperar ou atingir um tamanho significativo.

É aqui que Bialbero di Casorzo se destaca, desafiando a ciência e provando que tudo é possível. Pensa-se que, há muito tempo, um pássaro deve ter deixado cair um caroço de cerejeira sobre a amoreira ao voar por cima. Isto parece plausível – mas ninguém poderia ter imaginado que isso acabaria assim.


Mistérios do universo que ninguém resolveu - Estaremos nós sozinhos no universo?


O enigma de cada pessoa que já viveu e o tema de muitas discussões nocturnas é se estamos ou não sozinhos na Terra. Existem seres extraterrestres estranhos no nosso sistema solar ou mais além? Se há vida noutro planeta, quão semelhantes eles são para nós? São inteligentes?

Os cientistas sabem que o universo abrange cerca de 93 bilhões de anos-luz, com 2 triliões de galáxias, cada uma contendo milhões de estrelas e planetas. De facto, alguns dizem que há 100 quintilhões (1 com 20 zeros). Outros dizem mais.

Portanto, há uma boa hipótese de não estarmos sozinhos, mesmo que ainda não tenham sido encontradas provas de outra vida, inteligente ou não. Além disso, não seria um pouco altivo da nossa parte pensarmos que somos os únicos aqui? Poderia outra coisa ser mais inteligente do que nós, observando-nos e rindo de nós?

Alguns cientistas argumentam que o universo está repleto de vida, e que o Big Bang que criou a Terra e depois a vida sobre ela é de facto um acontecimento comum nos vastos confins do universo, em vez de um acontecimento pontual ou aleatório.

A tecnologia de observação espacial está a avançar a passos largos, permitindo-nos penetrar cada vez mais profundamente no universo. Estaremos prestes a encontrar pequenos seres verdes a pedir para serem levados ao nosso líder? Só o tempo o dirá!

Mistérios do universo que ninguém resolveu - A cidade perdida da Atlântida

Objecto de grande fascínio desde o tempo do filósofo grego Platão, há quase 2.500 anos, a cidade perdida da Atlântida foi descrita por Platão como um “reino poderoso e avançado, que se afundou, numa noite e num dia, no oceano cerca de 9.600 a.C.”.

Mas era verdade? Foi tudo baseado em rumores, aparentemente transmitidos pelo seu avô, a quem o estadista ateniense Sólon tinha contado a lenda desta ilha perdida?

Platão contou esta história várias vezes, e ela encontra-se no seu famoso diálogo, Critias. Nas Critias, descreve a Atlântida como uma ilha no Atlântico, perto do que é agora chamado o Estreito de Gibraltar. Os habitantes da Atlântida tornaram-se poderosos e, no processo, a sua ética declinou. Conquistando grande parte da África e da Europa, acabaram por ser repelidos por um exército liderado pelos atenienses.

Os deuses castigaram então a Atlântida com inundações e terramotos até esta se afundar no oceano.

Se a lenda for verdadeira, pensa-se que a ilha grega de Santorini, que está meio submersa após uma antiga erupção vulcânica e o tsunami resultante, poderia ser o que resta da Atlântida. Mas quem sabe? Será que os investigadores poderiam um dia encontrar mais provas? Ou será que Plutão contou uma história que desconcertou a humanidade durante 2.500 anos?


Lugares cientificamente impossíveis que realmente existem - Triângulo das Bermudas

A ciência sugere que o Triângulo das Bermudas é um pouco mais do que um mito. Os pesquisadores racionais são inflexíveis em afirmar que isso é coisa de folclore, mas as dúvidas persistem e tudo parece possível. O Triângulo das Bermudas cobre uma enorme área no Oceano Atlântico Norte, abrangendo mais de 500.000 milhas quadradas.

Também é conhecido como o Triângulo do Diabo ou Beco do Furacão, já que inúmeros navios e aviões teriam desaparecido sem deixar rastro enquanto estiveram nesta área. Mas será que isto significa que a lenda é verdadeira? A ciência sugere que a lenda do Triângulo das Bermudas é um mistério manufaturado, perpetuado por escritores que, propositada ou inconscientemente, fizeram uso de conceitos errôneos, raciocínios errôneos e sensacionalismo. Uma explicação coloca a culpa nas sobras de tecnologia do mítico continente perdido da Atlântida quando outra diz que anomalias magnéticas locais incomuns podem existir na área, confundindo bússolas e levando navios a se perderem. Há também o mito de que tempestades violentas ocorrem nos triângulos, afundando as naves.

O Triângulo é uma das pistas de navegação mais movimentadas da Terra e os especialistas acham que não é incomum que embarcações se percam aqui de tempos em tempos. Mas ainda assim, aqueles que entram no Triângulo das Bermudas freqüentemente o fazem com uma profunda sensação de mal-estar, a lenda do triângulo que perdura e não provou estar totalmente errada.


quarta-feira, 1 de junho de 2022

Sharon Stone

Não queria que a cena fizesse parte do filme. Mas foi aquele descruzar de pernas que a tornou num autêntico mito. Felizmente a sua carreira é mais do que isso, mas Stone entrou na história do cinema graças apenas a uma cena...

É conhecida a história. Sharon Stone sabia que Paul Verhoven, o seu realizador em Basic Instint, iria querer uma pose extremamente erótica do seu descruzar de pernas. Mas nunca imaginou que o que o realizador quisesse foi o que acabou por encontrar na sala de montagem. Uma imagem com total exposição do seu sexo. Foi então que armou uma enorme confusão na sala de montagem, exigindo ao editor e ao realizador que aquilo não estava no argumento e que não permitiria ser exposta assim. Verhoven tentou acalma-la dizendo-lhe apenas que aquela cena a tornaria um mito. E tornou. Stone não queria a cena porque achava que isso lhe custaria o óscar, como veio a acontecer. Mas as previsões do seu realizador tornaram-se verdade e ela passou imediatamente a ser um verdadeiro mito de sensualidade e erotismo.


A história de Sharon Stone começa bem antes de 1992.
Nascida a 10 de Março de 1958 em Meadvilla no estado norte-americano da Pensylvania, Stone sempre deixou crescer uma veia artistica ao longo da sua infância e adolescência. Mas foi a sua beleza que lhe deu o passaporte para seguir uma carreira no cinema, resultado de ter vencido, com apenas 17 anos, o concurso de Miss Pensylvania. A partir daí seria presença regular em anuncios televisivos. A estreia do cinema viria a acontecer em 1980 num filme do conceituado Woody Allen, mas sem direito a qualquer fala. A decada de 80 passaria a fazer filmes de serie B e thrillers eróticos como Bolero, filme onde se despia de preconceitos. Em 1990 teve o seu primeiro papel de destaque ao lado de Arnold Schwarzenegger em Total Recall. Depois viria a posar nua para Playboy, algo pouco comum numa actriz de 32 que procurava afirmar-se no meio pelo seu talento. A edição foi um sucesso e acabou por valer-lhe o papel da sua vida, o de Catherine Tremmell no filme Basic Instint de Paul Verhoven. Não se sabe ainda se foram as ousadas cenas de sexo, se o argumento, se o descruzar de pernas. A verdade é que o filme tornou-se um êxito absoluto ganhando proporções de filme de culto nos anos seguinte. E Stone afirmava-se no meio com uma nomeação aos Globos de Ouro.


A partir daí Stone tentou soltar-se dos papeis de bela mulher fatal que tinham sido a sua imagem de marca nos anos anteriores. Daí Silver e Intersection. Os resultados foram tão fracos que foi preciso a Stone voltar a usar a sua arma principal - o seu corpo - para reencontrar o sucesso em The Quick and the Dead, um notável western, e The Specialist.
Mas seria em 1995 que chegaria o papel da sua vida. Foi pelas mãos de Martin Scorsese e ao lado de Robert de Niro e Joe Pesci em Casino, filme que lhe valeu a segunda nomeação ao Globo e a sua primeira nomeação aos óscares. A partir desse filme todos os que tinham duvidas das suas capacidades como actriz ficaram convencidos.


O final dos anos 90 continuou a bom ritmo com filmes como Les Diaboliques, Last Dance e The Mighty, filme indie que lhe valeu mais uma nomeação ao Globo de Ouro, desta vez como secundária. No final da década, e ao lado de Albert Brooks, a bela actriz voltou a surpreender todos pela sua versatilidade no filme The Muse, que lhe granjeou a quarta nomeação aos Globos de Ouro.
Depois de em 2001 ter sofrido um aneurisma cerebral, Sharon Stone afastou-se um pouco do cinema. Desde então tem-se dedicado mais á sua vida familiar do que à sua carreira. Desde então tem entrado em projectos falhados como Catwoman e Cold Creeck Manor. Talvez com o regresso de Catherine Tremmell em 2005, Stone recupere a sua vitalidade. Isto para além de estar prevista a sua estreia como realizadora em 2006. A verdade é que o facto de no seu BI constar que a sua idade é já 47 e de poucos acreditarem é um facto a ter em conta. Algo que seria o sonho de qualquer mulher.