sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Grupos Musicais Portugueses - Construção


Em 1978, Aníbal Raposo regressa a S. Miguel onde com Luís Alberto Bettencourt, Emanuel Frazão, Carlos Frazão, Gil Alves, Luísa Alves e Zeca funda o grupo Construção.

É com a edição de "Há Qualquer Coisa" do agrupamento Construção, em 1982, que se começa a acreditar mais a sério na existência de uma nova geração de músicos e compositores açorianos abertos a sonoridades até então pouco exploradas no arquipélago.

Na era pós –"Baile no Bosque" dos Trovante, os açorianos Construção surgem com uma apelativa fusão de sons onde as influências vão do jazz à canção folk urbana, passando por baladas intimistas onde se fala muito do mar como limite e limiar da aventura por fazer, dentro e fora da ilha, e onde o amor se descobre em "compasso de maré".

O Construção é considerado pela imprensa continental e publicações da especialidade como o grupo revelação do ano.

Para além do único disco que editou, foi pouca a prática de trabalho colectivo do grupo Construção. Mas, por mais efémera que tenha sido a sua existência, ela permitiu o cruzamento e síntese de ideias de gente que, separadamente, tem continuado a levar bastante a sério a actividade musical.

O grupo desfez-se por razões que tiveram a ver com a deslocação para o continente de parte dos seus membros.

O álbum "Há Qualquer Coisa" foi reeditado em CD em Fevereiro de 2001.

DISCOGRAFIA
Há Qualquer Coisa (LP, Disrego, 1982)

NO RASTO DE ...
Mais ao menos no mesmo período em que os Construção editam "Há Qualquer Coisa", vamos encontrar José Medeiros, então a viver em Lisboa, integrado no grupo Rosa dos Ventos, no qual se fez sentir também a mui inspirada presença do micaelense João Miguel. No LP "Rimando Contra a Maré" (Diapasão/83), o único disco do grupo Rosa dos Ventos, José Medeiros contribuiu com poemas e canções que, tal como foi realçado pela crítica da especialidade da altura, deixavam já transparecer um raro poder criador. (AMS)

Gil Alves e Emanuel Frazão viriam a fixar-se em Lisboa e a abraçar a música como modo de vida.(AMS)

Aníbal Raposo e Luís Alberto Bettencourt, juntamente com Carlos Guerreiro, estiveram na origem de um grupo [Rimanço] que, com várias e interessantes transformações tanto a nível de estilo como de repertório, se manteve em existência durante um largo período de tempo. (AMS)

Aníbal Raposo participou como compositor e intérprete em diversos programas da RDP e RTP dos quais se destacam os temas escritos para as séries televisivas de José Medeiros "Balada do Atlântico" e "O Barco e o Sonho" - ("Comércio de Angra", com letra de Álamo de Oliveira e "Maré e Natividade"). Estes e o "Tema para Margarida" fazem parte do conhecido CD de temática açoriana "7 anos de música" editado pela Disrego. Foi um dos fundadores dos grupos Albatroz e Ala Bote. Em 1999 lançou a solo o disco "Maré Cheia".

José Medeiros notabilizou-se como autor e realizador de várias séries de televisão para a RTP-Açores. As últimas foram "Gente Feliz Com Lágrimas" e "Mau Tempo No Canal". Na música tem lançado alguns discos, taís como "Cinefílias e Outras Incertezas" (Memórias/1999) , tendo recentemente vencido o Prémio José Afonso.

Noticia retirada daqui

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Recomendamos ...